Sobre

Um amor chamado: Livros

Talvez alguns de vocês ainda não me conheçam bem, a não ser pela apresentação no post inicial. Gosto muito de ler, uma paixão que desenvolvi na adolescência, onde o mundo não é tão legal, e para dizer a verdade parecia bem assombroso, como para qualquer adolescente. Já muito mais que a maioria das pessoas, e muito menos do que alguns amigos. Já fui bem amiga da moça da biblioteca, na verdade não sei seu nome, mas fico grata dela ter me apresentado meu autor favorito: Gabriel Garcia Marques. Mas por um período que prefiro não comentar fiquei afastada dessa paixão. Retomei com glorias habito e tenho a intenção de escrever sobre alguns livros que me marcaram.

Livros marcam por diversos motivos: ligação com o personagem, com a história, com o autor, vontade de fugir da realidade ou entrar numa verdade que não é sua. Na grande maioria das vezes está ligada com sonhar. Outras tantas com aprender. Tirar uma lição de tudo isso. Os livros têm a capacidade mágica de mexer com você nos pontos que você nunca imaginou.

Já chorei muito no final de uma história, já tive vontade de modificar o final de um livro, de viver um daqueles contos, de sentir saudades de algum personagem ou aquilo que o autor quis expressar. Já quis viver um Amor nos tempos do cólera, já senti cem anos de solidão, já quis dar colo para uma adolescente desamparada, ser uma heroína do Sidinei Sheldon e conhecer Robert Langdon . Mas acima de tudo, mudei minha vida, o curso dos meus dias depois de ler: O verão que tudo mudou, O dia que te esqueci e Comer, Rezar e Amar. Sim os livros têm esse poder, o poder de mudar a gente, de nos dar um choque de realidade ou nos tirar da realidade.

Acima de tudo, os livros são os grandes amigos e companheiros que uma pessoa pode ter. Trazem conhecimento, diversão, alento, reflexão. O mais triste é saber que poucos conhecem tamanho prazer, tamanha liberdade. Liberdade sim, uma vez li que você não precisava viajar o mundo para ser livre. A liberdade está na mente, na imaginação, no poder de reflexão. É isso que a leitura faz, te traz a liberdade sem sair da sua casa.

 

E ai, quantos livros você leu esse ano? E quais você mais gostou?

 

Imagens da internet

Pamela Sobrinho

Quem escreve?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *