Opinião

O que é felicidade?

É sábado à noite. Eu estou na poltrona no meu quarto, tomando um vinho, lendo. Antes estudei um pouco, trabalhei. Para algumas pessoas esse é o sinônimo de solidão, de tristeza. Pobre mulher que não tem um namorado ou amigos para uma balada.

Por alguns longos anos também se lesse a cena descrita acima iria imaginar a mesma coisa. Por longos anos entrei e saí de relacionamentos sem dar um espaço de tempo. Por vezes saia para baladas para preencher o imaginário comum de o que é uma vida legal.

Tão errada. O coletivo diz que uma mulher sozinha é uma mulher infeliz. Que ela deve casar e ter filhos. Nunca uma mulher pode ser mais feliz no trabalho ou na solidão de sua poltrona do que com um companheiro.

Por um tempo eu passei a suportar um relacionamento falido porque eu não sabia o que era ficar sozinha. Para te falar a verdade eu tinha medo de dizer a palavra solteira. Como se isso significasse que eu tinha fracassado na vida.

Como eu poderia ser uma fracassada na vida? Já era uma profissional respeitada, tinha uma vida e uma família estável, mas o fato de ao invés de casar estar solteira era um fracasso? Como podemos nos resumir a tamanhos absurdos.

Mas com um pouco de coragem e uma vontade absurda de viver eu me tornei uma mulher solteira.

E não tem nada a ver com solidão. Existe uma palavra de define bem tudo isso: Solitude….é uma solidão por vontade própria. É uma solidão consciente. É um desejo absurdo de viver e viver as minhas vontades.

Por algumas vezes eu tive medo. Medo de não encontrar alguém, medo do novo, do que é ser solteira depois de dez anos com alguém do meu lado. Medo do que é ser apenas eu e não mais nós. Medo de como é viver e decidir sobre o que você realmente gosta ou quer da vida.

E não é um bicho de sete cabeças. É apenas um aprendizado diário. Minha vida não é aquilo perfeito das redes sociais. Posso sair com meus amigos e ir para uma balada. Posso conhecer alguém e por alguns minutos querer passar a vida inteira com aquele alguém, mas no fim da noite, o que eu quero mesmo é minha taça de vinho e meu livro, no sossego do meu quarto, e sim, sozinha. Por que não? Porque algumas vezes eu só quero amores de verão que duram uma noite. Porque eu quero viajar e conhecer o mundo, porque eu quero fazer coisas sozinhas, sem ninguém, ou com alguns amigos. Porque eu quero viver muito e ser muito feliz comigo mesma, me amando sem medo de ficar sozinha. Curtindo minha solitude, meus dias de verão em uma praia em algum lugar qualquer, porque eu quero curtir um vinho ou um jantar maravilhoso na melhor companhia do mundo: A minha.

E quem sabe algum dia eu não encontre alguém que eu possa dividir meus dias, meus sonhos. Mas não mais procurando minha metade. Porque eu sou completa demais para procurar alguém que é só meio, meio presente, meio companheiro, meio preocupado, meio apaixonado.

E até que esse dia chegar, eu estou aqui… e não existe companhia melhor do que a sua.. você já experimentou?

   Solitude é o isolamento ou reclusão voluntário, quando o indivíduo busca estar em paz consigo mesmo.

Pamela Sobrinho

Quem escreve?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *